NewsLetter:
 
Pesquisa:

Capitão Astral, de Gedeone Malagola
Por José Salles
14/04/2008

Vejam só que preciosidade fabulosa veio parar em minhas mãos, graças a uma gentileza do mestre & amigo Gedeone Malagola: um gibi com Capitão Astral, personagem de História em Quadrinhos criado por ele no início dos anos 50 do século passado. Na verdade, este e outros personagens eram publicados nesse gibi que oficialmente se chamava Júpiter, tal qual o nome da editora que o lançava nas bancas, fundada pelo próprio Gedeone junto aos colegas Auro Teixeira e Victor Chiodi. O número que tenho em mãos, o 22º (novembro de 1953) mostra HQs desenhadas por dois dos pioneiros dos Quadrinhos brasileiros: Gedeone Malagola e Diamantino Silva, ambos mostrando muito entusiasmo e criatividade na produção de HQs de ficção científica. Começa com a melhor do gibi, que tem momentos deslumbrantes, estrelando o herói em destaque na capa. Capitão Astral é um integrante da Patrulha do Espaço, e viaja de planeta em planeta com sua companheira Eletra (uma loira muito sensual), sempre tentando resolver problemas. Aqui, o casal se depara com um monstrengo gigante que mais parece uma versão punk (antes que o estilo fosse inventado) do Dr. Cérbero, t.c.c. Dr. Cérebro, a minhoquinha com radinho pendurado no “pescoço”, e que era também ferrenho inimigo do Capitão Marvel.

A segunda HQ deste gibi memorável é Uma Aventura Em Júpiter, produzida por Luiz Sanches, mostrando outro personagem de ficção-científica, Red Rogers, um piloto que fará de tudo para realizar seu sonho de participar de uma viagem interplanetária. Ele pratica algumas contravenções para conseguir seu intento, mas na volta é perdoado pois afinal de contas havia impedido uma invasão alienígena dos habitantes do planeta Júpiter. Não só não é preso como é convidado a trabalhar como agente espe(a)cial para o governo brasileiro – vejam como estava otimista o autor, quando criou esta história: ele acreditava que no futuro haveria governo no Brasil... agora falando muito sério, esta HQ de Red Rogers é simpaticíssima e tem grandes momentos! Sanchez entrou na equipe da Júpiter depois de ter mandado desenhos para seus editores, e além de Red Rogers desenhou outros personagens de outros estilos, como Tupan, um indígena brasileiro. E, segundo o próprio Gedeone, Luiz Sanchez (já falecido) era melhor no estilo cômico.

Segue com uma HQ do personagem Ney Foguete, de Diamantino Silva (entre tantas coisas, editor do longevo fanzine Mocinhos & Bandidos e autor do maravilhoso livro Anos Dourados – A História dos Suplementos no Brasil, escrito com uma simplicidade tocante). Desenhos bonitos e roteiro vibrante, dotado das melhores influências dos Quadrinhos da Golden Age, Diamantino criou aventura dinâmica cheia de vôos, fugas, monstros, lutas (Ney Foguete é do futuro mas sabe usar armas primitivas, também). Muito reveladoras da realidade, nesta HQ, são as primeiras palavras da legenda inicial: “desde a descoberta das viagens a Júpiter, no ano de 2500”... nada mais justo: os autores publicados neste gibi são mesmo artistas muito à frente de seu tempo. Diamantino publicou também outros personagens na Júpiter, entre eles Flávio, O Corsário, além da memorável Rosinha Repórter.

Capitão Astral no traço do Mestre Gedeone Malagola


Completa esta edição de Júpiter outra HQ de Gedeone, sob pseudônimos, com outro personagem de sua autoria: Capitão Júpiter – O Rei do Espaço, herói intergaláctico vivendo aventuras semelhantes às de seu colega Astral. Se por todo o gibi podemos constatar algumas imperfeições nos desenhos das HQs, isso foi resultado das necessidades editorias da época, que exigiam prazo & pressa. Lembremo-nos de que Quadrinhos vendiam muito mais do que hoje, as tiragens dos gibis menos vendidos eram cinco vezes superiores do que a publicação de maior tiragem de nossos dias. Isso quer dizer que quanto mais gibis houvesse nas bancas, e quanto mais rápido lá chegassem, maiores seriam as vendas. Quantos gibis produzidos por brasileiros hoje em dia chegam até o número 22, excluindo os infantis? É difícil até com fanzine. E os caras naquela época tinham que lançar gibis todo mês, gibis que alcançavam a maior parte do território nacional.

Estávamos então há anos-luz da “distribuição setorizada”... e qualquer um que tenha trabalhado nas editoras que publicavam HQs durante aqueles anos, pode confirmar que era senso comum nas redações a (falsa) necessidade de se copiar os similares estadunidenses, pois segundo a visão editorial da época as pessoas já estavam acostumadas com aquele padrão e portanto com ele haveria maior possibilidade de boas vendas. Por isso não é coincidência a capa desta revista que agora comento, ser idêntica ao Sky Pirates, de Murphy Anderson. Mas enfim, de qualquer forma, o que faltou em cuidado estético, sobrou em criatividade. Eram autores que, jovens de 30 anos na época, haviam lido durante toda a vida o que de melhor foi produzido na História dos Quadrinhos: Brick Bradford, Flash Gordon, Tarzan, Mandrake, Fantasma, Superman, Terry & Os Piratas, Jim das Selvas, Príncipe Valente, Buck Rogers, Tim Tyler, Buzz Sawyer, Dick Tracy, entre tantos clássicos. E toda essa influência resplandece em cada quadro de todas as páginas de Capitão Astral, ou Júpiter, numa intensidade fascinante, um mix frenético criado por alguns dos mais brilhantes neurônios tupiniquins.

 Do mesmo colunista:

Aventuras Eróticas #4

João Tymbira Em Redor do Brasil

Os Guerreiros de Jobah – Parte 2

Os Guerreiros de Jobah – Parte 1

Spektro, A Revista do Terror #20

Horror Negro: talentos nacionais reunidos

Radar, uma revista com jeito de fanzine

Mil Perigos - Parte 3

Mil Perigos – Parte 2

Gibizóide: todas as Colunas

 Veja também:

Lançamento: Raio Negro – Super-Herói #5

Lançamento: Boca do Inferno.com #1

Preview: O Bom & Velho Faroeste #1

Lançamento: Corcel Negro #2

Resenha: Tormenta #2

Lançamento: Tormenta #2

Lançamento: Vulto – Guerra Declarada

Lançamento: Pedro & A Turma do Barulho #1

Lançamento: Benjamin Peppe #1

Lançamento: Krahomim #1

Quem Somos | Publicidade | Fale Conosco
Copyright © 2005-2017 - Bigorna.net - Todos os direitos reservados
CMS por Projetos Web