NewsLetter:
 
Pesquisa:

Os Dez Melhores Quadrinhos para Eloyr Pacheco
Por Marcio Baraldi
17/04/2011

Hoje eu varri bem o chão e estiquei um tapete vermelho, porque quem chegou na redação é ninguém mais, ninguém menos que o criador do Bigorna, o Excelentíssimo Ilustríssimo Vossa Eminencia Poderoso Chefão Senhor Doutor Professor Eloyr Pacheco!!!Corri para fazer um cafezinho, abri aquele velho bolo Pullman que ganhei na cesta básica do Natal e tava guardando pra uma ocasião especial. Não é fácil ser proletário, morar na periferia e ter 15 filhos e 5 ex-esposas pra sustentar, por isso tenho que tratar bem o chefinho querido e causar uma boa impressão. O hómi veio lá de Londrina (no Paraná, seus burros!) dar uma vistoria na redação e de quebra trazer sua lista dos dez gibis mais importantes para si. E lógico que eu nem li a lista e já concordei com tudo TOTALMENTE!!! Nem preciso saber o que tem na lista, afinal se meu estimado chefe falou que é bom é porque é e não se fala mais nisso!!! Enquanto meu glorioso chefe saboreava o cafezinho, tratei de escovar seu paletó e engraxar seus sapatos. Ainda presenteei-o com uma linda fitinha do Senhor do Bonfim, que é pra protege-lo dos mau-olhados, tão frequentes neste ingrato ramo em que trabalhamos, não é mesmo? Meu chefe merece. Ele é o melhor chefe do mundo! Ai, será que esse ano sai a PLR e o auxilio-creche que ele prometeu?!?...

Os Dez Melhores Quadrinhos de Todos os Tempos
Por Eloyr Pacheco

01 – Will Eisner - conjunto da obra
Este é o grande mestre dos Quadrinhos! Um Contrato com Deus, No Coração da Tempestade, O Edifício e Nova Iorque: A Grande Cidade são lindíssimos e estão entre os meus preferidos na sua produção que durou uma vida inteira. Não consigo enxergá-lo fora da prancheta. Eisner contou histórias como ninguém e ensinou-nos a contar histórias. Quadrinhos e Arte Sequencial e Narrativas Gráficas são obrigatórios para quem quer fazer Quadrinhos. Além de tudo isso, o Mestre ainda criou o Spirit!

02 – Jack Kirby - conjunto da obra
O meu outro grande mestre dos Quadrinhos! Também trabalhou uma vida inteira nos Quadrinhos: é outro que só o visualizo na prancheta, desenhando. Seu Super-Homem é base para roteiros (recontados inúmeras vezes) até hoje. É dele o Capitão América antes da Era Marvel, onde esteve envolvido com os maiores personagens “criados” por Stan Lee. Depois, mencionando apenas três (ou quatro, se preferir), temos Novos Deuses e o Quarto Mundo, Kamandi e Os Eternos.

03 – Alan Moore - conjunto da obra
Mais um nome que se tornará uma lenda nos Quadrinhos! O conjunto de sua obra é impressionante, muito difícil citar apenas um trabalho de Moore. Seu Monstro do Pântano, especialmente o arco Lição de Anatomia, é exemplo de narrativa gráfica e... poético. Watchmen traz para suas mãos personagens considerados insignificantes, assim como Marvelman, e ele faz deles ícones e exemplos de criatividade. V de Vingança é exemplo de uma história política, engajada.  Fora isso, ainda preciso mencionar a qualidade de Do Inferno e A Liga Extraordinária. (Muitos ainda dirão que me esqueci de Promethea e TOP 10.) Ah?!, quando chamado para escrever uma história para Batman, Moore escreve A Piada Mortal. Ah?!, foi no Monstro do Pântano escrito por Moore que surgiu Constantine.

04 – Cavaleiro das Trevas - Frank Miller
Miller pode ter seus altos e baixos, mas é isso que faz dele um ser humano como nós. Seus momentos sublimes estão em Demolidor e Cavaleiro das Trevas. Alguns podem citar Ronin. Eu também mencionaria Elektra Vive. Mas, escolho Cavaleiro das Trevas por ser um verdadeiro divisor de águas na indústria dos comics anos 1980. Miller teve nas mãos um personagem considerado desgastado e criou uma história que até hoje é referência.

05 – Sandman - Neil Gaiman
Aqui está um exemplo de planejamento: como uma série limitada pode ter tanto poder e conquistar tantos fãs. O jeito de contar histórias muda em Sandman. Suas referências (às vezes escancaradas, noutras mais sutis), sua atração (especialmente para um novo público feminino) e ritmo são ótimos. Os personagens são muito bem conduzidos na narrativa até seus desfechos.

06 – Moebius - conjunto da obra
Jean Giraud
fez desde werstern até ficção científica com maestria. Forte Navajo e Tenente Blueberry, por exemplo, foram escritos por Jean-Michel Charlier e desenhados por Moebius. Ao lado de Alexandro Jodorowsky fez Incal, uma referência obrigatória quando se menciona a produção francesa de Quadrinhos. É Moebius que assina Arzach e A Garagem Hermética. Nos anos 1970 foi um dos responsáveis pela criação da revista Métal Hurlant, a Heavy Metal americana. Quando chamado para fazer um comics, ele assina ao lado de Stan Lee a graphic novel Parábola, estrelada pelo Surfista Prateado. Moebius é reconhecido pelo seu traço, especialmente as hachuras. No seu trabalho eu o menciono pelas sequencias sem falas. (Fora dos Quadrinhos, Moebius trabalhou na pré-produção de filmes como Alien, Tron e O Quinto Elemento.)

07 – Flavio Colin - conjunto da obra
Colin, entre os grandes mestres brasileiros, tem um traço característico que o faz ser reconhecido. Chegar a esse ponto num país como o nosso, de pouca produção, é muito difícil. Claro, que alguns mencionarão que Maurício de Sousa também consegue isso mas, reafirmo o que digo, por Colin atuar em outra seara, e não a infantil, cuja indústria é claramente maior. O traço do Mestre Colin parece uma xilogravura, suas hachuras determinam o peso de cada quadro dando harmonia à página. Com esse seu traço ilustrou todo tipo de história, especialmente as de terror. Mas, antes de chegar a esse traço característico nos anos 1960 fez quadrinhos de ação como O Anjo e Vigilante Rodoviário. Colin ainda trabalhou o folclore e a história do Brasil em seus Quadrinhos. São dele Sepé Tiarajú e Vizunga. Dono de uma vasta produção assinou Mulher-Diabo no rastro de Lampião escrita por Ataíde Braz; Fawcett, escrito por André Diniz e Estórias Gerais e Fantasmagoriana escrito por Wellington Srbek.

08 – Ziraldo - conjunto da obra
Hoje, Ziraldo pode ser reconhecido mais como escritor do que como quadrinhista, mas ele figura nesta lista por ter criado a Turma do Pererê e, assim como o Mestre Colin, ter um traço característico que o faz ser reconhecido facilmente, além disso, também bebeu do nosso folclore para criar os seus personagens. Ziraldo também criou uma fonte sua que basta olhar para saber que é dele. Genial, é um dos maiores cartazistas brasileiros. Fora o seu famoso Menino Maluquinho, ele tem nos Quadrinhos a Supermãe e Jeremias, o Bom. Mineirinho, o Comequieto é mais uma grande criação sua.

09 – Glauco, Laerte e Angeli - conjunto da obra
Não vou desassociar estes três grandes quadrinhistas que durante muito tempo aturam juntos. Para justificar essa menção ao trio cito os personagens Os Piratas do Tietê, Rê Bordosa, os Skrotinhos, Geraldão e Los Três Amigos.

10 – Lobo Solitário - Kazuo Koike e Goseki Kojima
Uma imensa saga que para os leitores da minha idade é referência de Mangá. Hoje, Lobo Solitário, escrito por Kazuo Koike – que também roteirizou Crying Freeman, outra série de minha preferência – e ilustrado por Goseki Kojima, é um clássico. Foi inspirado nesta obra produzida nos anos 1970 que Claudio Seto, falecido precocemente em 2008, produziu O Samurai, publicado pela Grafipar. Lobo Solitário é referência de narrativa gráfica: bom roteiro conciliado com arte espetacular, caracterizada por hachuras precisas e linhas de movimento extremamente estudadas.

Quem Somos | Publicidade | Fale Conosco
Copyright © 2005-2017 - Bigorna.net - Todos os direitos reservados
CMS por Projetos Web